PLÁSTICO NO OCEANO AMEAÇA A VIDA DO “PROFESSOR POLVO”

0

Se você, como a atriz Dira Paes, se emocionou com o documentário Professor Polvo (My Octopus Teacher), vencedor do Oscar 2021, e até parou de comer o molusco como ela depois de ver o filme da Netflix, vai ficar impactado pela campanha impressa (em destaque) da  Corporación Centro de Excelencia en Ciencias Marinas (CEMarin), que reúne as universidades Nacional de Colombia, dos Andes,de Bogotá Jorge Tadeo Lozano, de Antioquia, del Valle e e Universität Justus-Liebig, de Giessen, Alemanha. As peças têm o objetivo de mostrar que mais de 800 espécies marinhas são afetadas por resíduos de plástico todos os dias. Os seres humanos produzem mais de 300 milhões de toneladas de resíduos plásticos por ano, dos quais 8 milhões acabam no oceano. Os famosos polvos que aparecem no premiado filme, baleias, tartarugas, peixes, corais, águas-vivas e até espécies que vivem nas partes mais profundas do oceano têm partículas de plástico em seus corpos e alguns têm a vida ameaçada por este lixo humano.  

CEMarin quer alertar para esse problema e o lançamento da campanha, com o filme conquistando público em todo o mundo, é oportuna. A obra dirigida por Pippa Ehrlich e James Reed mostra a relação entre os moluscos e o cineasta Craig Foster e o seu filho Tom que passaram um ano mergulhando todos os dias nas florestas de corais marinhos da África do Sul buscando se relacionar os polvos do local. Segundo Tom Craig, os polvos acabaram por enfatizar aquilo que é importante na vida: as conexões e os cuidados que devemos ter com nós mesmos e com os outros na preservação da vida e da natureza. O trailer do documentário de longa metragem do Oscar 2021 diz muito sobre a importância da preservação do meio ambiente. É o estímulo também para que venhamos a cuidar mais dos oceanos.

Share.

About Author

publicitta

Leave A Reply