NOS 110 ANOS DE SYNVAL SILVA, ADEUS BATUCADA

0

O mineiro de Juiz de Fora Synval Machado da Silva (1911-1994), ou simplesmente Synval Silva, chegou ao Rio de Janeiro ainda moço para trabalhar em oficina mecânica. Foi morar na Serrinha, berço do samba e do Grêmio Recreativo e Escola de Samba Império Serrano, da qual foi um dos proeminentes compositores.

Foi a “pequena notável” Carmem Miranda que deu visibilidade à obra de Synval Silva ao gravar em 1933 a belíssima canção Alvorada, a que se seguiram  “Ao Voltar do Samba” (1934), “Coração!” (1934), “Adeus Batucada” (1935), “Saudade de Você” (1937), “Gente Bamba” (1937), “Amor Ideal” (1939) e “Nosso Amor Não Foi Assim” (1939). 

Synval Silva, que hoje completaria 110 anos, teve em vida o seu reconhecimento quando no aniversário de 60 anos quando recebeu o diploma e o anel de “Bacharel do Samba”, título outorgado oficialmente pelo Museu da Imagem e do Som do Rio. Antes, em 1951, Synval Silva, chegou a convite de Carmem Miranda, a se apresentar com sua principal intérprete nos palcos americanos.

Você fica aqui com a interpretação de Carmem Miranda de Adeus batucada, considerada uma das grandes gravações da cantora. Já as informações aqui publicadas foram extraídas de uma das melhores, mais preciosas enciclopédias de música brasileira conduzida com rigor, carinho e extrema generosidade por Ricardo Cravo Albin, criador do  Dicionário Cravo Albin da Música Popular Brasileira.

Share.

About Author

publicitta

Leave A Reply