PLAYLIST Djdu.K: JOHN McGEOCH

0

Por Eduardo Silva Bernardt

John McGeoch nasceu na Escócia em 25 de agosto de 1955 e partiu desse mundo em 4 de março 2004. Ele foi um dos grandes guitarristas e esteve ligado à estética da cena pós-punk. Com muita criatividade, procurou por uma sonoridade mais progressista e menos tradicional em relação ao rock, assim, deixou solos de lado, desprezou escalas convencionais e tentou fazer com que seu instrumento não soar como uma guitarra.

Certamente, foi o mais influente guitarrista de sua geração sendo citado com grande influência por artistas como Johnny Marr dos Smiths, Ed O’Brien do Radiohead, The Edge do U2, Dave Navarro do Jane’s Addiction, John Frusciante do Red Hot Chili Peppers e Mark Arm do Mudhoney.

Na adolescência recebeu suas maiores influências vindas dos guitarristas Eric Clapton, principalmente na fase da banda Cream, e do Jimi Hendrix.

Em 1977, Junto ao ex Buzzcocks Howard Devoto, fundou a Magazine e participou da gravação dos seus três primeiros álbuns. Obteve o reconhecimento expresso pela crítica e por outros artistas, mas ficou frustrado pela falta de êxito comercial e deixou o grupo. Antes de sua saída da Magazine, integrou em 1980 a banda Visage de synthpop de Steve Strange, algo que ele encarou como uma piada, mas que lhe trouxe sucesso comercial com a música “Fade to Gray”, hit número 1 em paradas de vários países da Europa. Com o Visage, tocou não apenas guitarra, mas também, saxofone.

Em 1980, tocando guitarra e piano, John McGeoch passa a integrar a Siouxsie and the Banshees onde também grava três álbuns até 1982 quando deixou a banda depois de um colapso nervoso devido ao estresse. Esta fase de sucesso é também apontada como aquela em que alcançou os resultados artisticamente mais significativos. Em 1981, participou das gravações do álbum “Kiss Me Deadly” do grupo de punk-rock Gen X de Bily Idol.

Em 1983 se juntou à banda Armory Show e fez várias colaborações, como no álbum solo de Peter Murphy da banda Bauhaus. Em 1985, participa do Waiting for the Floods da Armoury Show, álbum que passou despercebido dentre os álbuns de grandes guitarristas daquele momento conforme nos lembra o crítico Dan LeRoy.

E em 1986, foi a vez de integrar e contribuir com banda PIL – Public Image Limited do ex Sex Pistols John Lydon onde, mais uma vez, gravou três álbuns e, depois, a deixou em 1992. No mesmo ano, aceitou o convite da banda islandesa Sugarcubes, quando ainda tinha a artista Björk como cantora e compositora, para gravar sua guitarra na música Gold. Ainda, formou o Pacific com John Keeble do Spandau Ballet, mas não lançou nenhum material.

No meio da década dos anos 1990, aposentou-se da música profissional e formou-se em enfermeiro-cuidador. Em 2004, com 48 anos de idade, faleceu enquanto dormia em sua casa na Inglaterra. Em sua homenagem, o baterista da Siouxsie and the Banshees, Budgie, escreve: “Sem qualquer desrespeito a todos os outros guitarristas com quem trabalhamos, nenhum teve o domínio tranquilo e a profundida expressão de John McGeoch. Nenhum vídeo de registros de shows poderia revelar a economia sutil da técnica que fazia com que uma frase aparentemente complexa parecesse tão enganosamente simples. Guitarristas inflamados costumavam comentar: ‘Mas suas mãos nem se movem!’”

Em 2008 a rádio BBC de Londres produziu um programa documentário em Homenagem à John McGeoch que pode ser ouvido clicando aqui.

A presente play-list apresenta quatro álbuns completos, Visage de 1980 da banda homônima, Real Life de 1978 da Magazine, Juju de 1981 da Siouxsie and the Banshees e o Happy? De 1987 do PIL, com suas músicas intercaladas e como uma homenagem dedicada a McGeoch e também ao amigo Adriano Canas que me despertou a atenção para o trabalho de John McGeoch.

Share.

About Author

publicitta

Leave A Reply