A NATUREZA VIVA DE ARCIMBOLDO

0

Por Carlos Franco*

O italiano Giuseppe Arcimboldo (1527-1593) tomou gosto pela pintura ainda menino, quando acompanhava o pai que era pintor de afrescos em Milão, em Itália. Foi, no entanto, em Praga, capital da Bohemia e hoje da República Tcheca, que sua pintura floresceu. Arcimboldo tornou-se um dos pintores oficiais da corte de Fernando I e de seus sucessores, Maximiliano II e Rodolfo II. Como Praga era laica, onde diferentes religiões podiam conviver em perfeita harmonia, ao contrário da Itália, onde o cristianismo foi imposto, Arcimboldo teve total liberdade para fugir em sua pintura dos ditames religiosos.

Diante do cenário de liberdade de expressão, Praga viveu grande ebulição cultural e científica na época  de Arcimboldo, tornando-se importante refúgio para os ciganos e os judeus que se dedicavam ao ocultismo da Kabala e à magia. Com isso, Arcimboldo trouxe para as telas o conceito de que somos aquilo que comemos, criando rostos a partir de flores e frutos, árvores.

Uma pintura que entrou para a história e até hoje pode ser vista em livros e é admirada em museus por sua riqueza de detalhes, a forma vibrante com que flores e frutos dão os contornos sensacionais do corpo humano. Sirva-se de Arcimboldo e dos frutos de sua arte.

*Texto originalmente publicado na revista digital Flores & Frutos

Share.

About Author

publicitta

Leave A Reply